Cabeção de Nego

Et vive l’anarchie!!!!

leave a comment »

Lendo os comentários nos blogs e sites da websfera sobre o caso do guarda que deu uma banda no skatista abusado só posso dizer que o pessoal parece não saber mesmo viver em algo que não seja ditadura nem anarquia: é 8 ou 80, ou vivem sob a vigilância constante do Estado sob cada ação e pensamento ou acham que tá tudo descaralhado e que não precisam cumprir regra alguma sobre coisa nenhuma.

Quer dizer que o moleque descumpre sucessivas ordens do poder constituído quanto ao local em que deveria praticar suas manobras radicais (a fim de não colocar em risco quem não tinha nada a ver com a novela), se nega a cumprir as ordens (ordens estas justificadas e coerentes comuma visão democrática e plural do conceito de liberdade e da máxima ocidental de que o direito de um cidadão termina onde o de outro começa: nestes casos o de praticar seu esporte preferido e o de caminhar tranquilamente em uma praça, respectivamente) de forma acintosa, é impedido por meio de força (força esta que é o que caracteriza o poder de polícia) de cometer o delito e vira herói? Tá bom, então.

Ao meu ver a ação do guarda foi legítima e no estrito cumprimento da função. Agora, que lição a sociedade tá dando a estes moleques? Que eles não precisam cumprir normas, que ordem da lei é o caralho, que direito alheio e limites de uso do espaço público é a puta que o pariu.

Daqui a alguns anos é possível que ouçamos notícias sobre um tal de Pedro Neném que talvez tenha matado alguns pedestres enquanto estava participando de um pega com os amigos, e ficaremos nos perguntando o porquê de a polícia não ter intervido. Sim, porque são análogas, fazer acrobacias de skate a vários metros de altura fora da rampa e sobre a cabeça de pacíficos transeuntes é análogo a fazer cavalo de pau fora de um autródomo e em uma rua cheia de pedestres. E acho que nem vou precisar explicar que “análogo” não é sinônimo de “idêntico” já que este blog não tem sequer leitores, que dirá leitores analfabetos.

Se o poder constituído na figura do guarda municipal não tem direito (e dever) de impedir por meio da força um ato de desordem mesmo após várias  recomendações pacíficas então dissolvam a guarda municipal do Rio, dissolvam a PM, dissolvam a Marinha… e que venha a tão sonhada anarquia. Vivas a ela!!!

Anúncios

Written by Daniel

julho 27, 2012 às 4:43 pm

Publicado em Sociedade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: