Cabeção de Nego

Reza braba

leave a comment »

Esta notícia não é fake e me deixou estupefato. Em pleno século 21 em um estado constitucionalmente laico e democrático como o Brasil uma lei municipal acaba de ser aprovada por unanimidade obrigando a todos os professores do ensino fundamental a entoarem cantigas de louvor a deidades das religiões afro-brasileiras tais como Oxossi, Índia Jupira e Exu Cemitério das Almas.

De agora em diante crianças e professores serão obrigados por lei a prestar louvores a orixás, guias e caboclos: pouco importa se em âmbito pessoal tais cidadãos sejam evangélicos, católicos, islâmicos ou ateus: se não quiserem ter problemas com a lei precisarão baixar a pombaxira e cantar direitinho suas cantigas. O projeto foi proposto pelo babalorixá José Airton de Araújo que atua como edil naquela cidade.


Ponto de Bomba-Gira – Moça bonita

De vermelho e negro,
Vestindo à noite,
O misterio traz.
De colar de ouro e brinco
Dourado a promessa faz.
Se é preciso ir,
Você pode ir.
Peça o que quiser,
Mas cuidado, amigo,
Ela é bonita, ela é mulher. (2x)

E no canto da rua zombando,
Zombando, zombando está.
Ela é moça bonita,
Oi! girando. Oi! girando,
Oi! girando lá!

Oi girando laroyê!
Oi girando laroyá!
Oi girando laroyê!
Oi girando lá!


Achou absurdo? Não está acreditando numa história destas?

É, você me pegou: a notícia na verdade não é bem assim. As entidades que deverão receber louvor por força da lei na verdade são Jeová e Jesus Cristo; o babalorixá na verdade é um vereador evangélico. O resto é verdade. Crianças e funcionários da educação da cidade de Apucarana no Paraná estão na iminência de sofrerem por parte de seus governantes um crime contra a liberdade religiosa: está em fase final de tramitação um projeto de lei que obriga todos os professores e alunos de escolas públicas e particulares em todo o município a rezarem o Pai Nosso antes de cada aula.

A lei é uma cópia de outra que havia sido aprovada no começo do ano na cidade baiana de Ilhéus e que já foi devidamente suspensa pela Justiça por ter sido declarada inconstitucional.

De qualquer modo, a notícia assusta. Assusta porque serve de testemunho sobre como e quão rápido tem crescido o fantasma da teocracia por estas bandas sobretudo entre pentecostais e neopentecostais. O cristianismo brasileiro tem sido inflado por um grupo cada vez maior de pessoas que acredita que o seu direito à fé ultrapassa e esmaga o direito alheio sobre qualquer coisa. Esta afirmação é facilmente evidenciada quando observamos no cotidiano como sobretudo nestes dois segmentos do protestantismo se lida com a questão do silêncio: são as caixas de som em volumes absurdos viradas para o lado DE FORA dos templos, são às pregações aos berros no transporte coletivo, são pessoas ouvindo Regis Danese em seus aparelhos portáteis sem fones de ouvido em locais públicos… são símbolos de que para boa parte deste grupo (regras em geral admitem excessões, inclusive esta) o direito alheio se submete à sua crença: tudo que for feito em nome de Gzuis está previamente justificado na cabeça deste tipo de religioso, inclusive impedir os vizinho de dormir por conta de vigílias barulhentas em locais sem isolamento acústico; inclusive incomodar a viagem de centenas de trabalhadores esgotados voltando de um dia de trabalho; inclusive propor, aprovar e apoiar um projeto de lei que faz com que cidadãos dos mais diversos credos ou não credos sejam submetidos aos rituais da sua crença.

Não por coincidência os proponentes em ambas as cidades são membros de denominações evangélicas “renovadas”.

É de pequenos eventos como este projeto de lei que governos totalitários como o Irã ou a Arábia Saudita emergem e o start é exatamente quando um grande número de pessoas passa a acreditar que sua escolha religiosa lhe confere direitos especiais ante seus concidadãos, como tendo visto no meio pentecostal/neopentecostal.

E é ainda mais alarmante porque em uma câmara de representantes eleitos não se ouviu uma voz sequer de contestação ao projeto teocrático.

Então, já que não há remédio, obedeçamos a lei, e oremos!

 

Pai nosso da Terra

Pai nosso que estais na terra
Simplificado seja vosso nome
Esta em mim o vosso reino
Que seja minha tua vontade

Bendito ou maldito!
Se o que eu mato eu como
A espera nossa de cada dia
Nos dai hoje e castigai
Aqueles que vivem
Do sacrifício dos teus

Sem que perdoe os teus devedores
Pai nosso da Terra
Livrai-nos da maldição dos fracos
Livrai-nos da maldição dos fracos
Amém

 

Anúncios

Written by Daniel

julho 2, 2012 às 11:55 pm

Publicado em Religião

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: